Ensaio de Elis – mãe de Clarice e Joaquim

A maternidade me cai bem, a gravidez acaba comigo. Não gosto. A gente descobre que está grávida porque não tá suportando um acontecimento dramático da vida sobre o qual só se tem um insuspeito mal estar. Ninguém pensa, primeira coisa, “estou grávida”. Ou se pensa é: “cacete, será que posso estar grávida?”. Quando suspeitei era tudo tão absolutamente grandioso e inédito que eu ria na cara do perigo. Depois chorei.

Maternar é cansativo, absorvente, necessário, atemporal, parte do meu organismo, horas eu lido bem, horas nem tanto, mas a gravidez tira minha flexibilidade, especialmente quando a barriga começa a parecer grande. A mim irrita a imobilidade que ela causa, o desconforto do bebê pirando no chute ao reconhecer uma voz familiar ou quando o coração da mãe padece. Doem os ossos da pelve, a respiração raleia, os pés incham e da vontade de… respirar e lembrar que vai passar. Minhas roupas não cabem mais, e à medida que elas não entram em mim saem do espaço de uso do guarda-roupas. Fica muito fácil escolher a roupa pra sair, é a que estiver limpa e cabendo.

Sou apegada, gosto de usar o corpo todo, da melhor maneira possível, tenho uma lindeza de três anos de idade para quem mantenho uma casa, duas gatas, um carro, meu trabalho, e meu eu, último e mais importante. E sou rápida. Imagina o que faz comigo carregar todo esse peso?!

Ainda bem, e só por isso eu cuido de levar da maneira possível: são meus filhos, pessoas minhas que engendrei na máxima intenção amorosa, com quens tenho um compromisso inadiável e desejado. Eles estão comigo e eu com eles desde antes de o ar entrar. Eu fui, pra eles, mais importante que o ar em algum momento.

O lastro que a maternidade me deu foi de saber que não conheço a dimensão da minha resiliência. Ainda bem. Que assim seja.

Elis Barbosa

One thought on “Ensaio de Elis

  1. “Só as mães são felizes… não podem deter a vida!”
    Aprendemos que somos maiores do que se podia supor. Somos canal de passagem do fluxo de (in)permanência da vida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *