O tempo não tem tempo pra passar

1397236_943153109086717_4955389855857372852_o

São os bem intencionados que mais pecam, especialmente contra a maternidade alheia. Viralizou um video-meme sobre isso essa semana mesmo.


A maioria das pessoas é bem intencionada, não se felicitam encontrando só e sempre o mesmo crápula no espelho. A seu modo irrefletido seguem sendo o que todos devem ser, a generosidade não pertence às multidões.

Em uníssono ouço constantemente, melhor passar cinco minutos de qualidade com seu filho que o dia inteiro de corpo presente sem lhe dar atenção. Senhoras e senhores, não.


Pensemos: “qualidade”, o que tem dentro? Atenção ao momento presente, interação com o que o outro está propondo (conversa, pintura, dança, quebra-cabeça), conversa se bem-vinda.

Agora multiplica isso por “qualidade de tempo com o seu filho”. Pra ter essa qualidade não dá pra ser em cinco minutos, na vida não é assim, pra ser um profissional reconhecido (??), pra almoço de família (!!!), romance, café com os amigos, e não tem escapatória, não cabe essa qualidade toda em cinco minutos. As crianças precisam do nosso tempo. Não são elas que nos eternizam? para se estender a eternidade precisa de tempo. Não é das fibras da vida que o tempo se engendra? Com que solidez elas serão se não vivemos tempo juntos?

Sente culpa? Não adianta, ela só paralisa. Sente frustração? Bom, sua criança precisa de um exemplo para aprender a viver serenamente esses momentos. Faça direitinho, depois ela vai fazer com você. Sente tristeza? Lide com isso. Mas e depois?

Escolha. A parentalidade é toda trabalhada nesse mistério infernal do “tomara que essa tenha sido a melhor escolha”. Só não tem devolução nem garantia.
Ah, sim, escolha consciente. Reflita, compartilhe com outras pessoas, seja honesto. E lembre-se, vai ser só dessa vez que seu filho vai estar assim tão disponível. Depois você vai ter muito tempo pra fazer outras coisas. Tanto tempo que cinco minutos vão parecer nada no mar de ausência que fica a vida sem eles.

Antes que me esqueça: “o dia inteiro de corpo presente sem lhes [os filhos] dar atenção”. Todos sabemos que isso contraria qualquer lei natural, se a gente está de corpo presente e não dá atenção a represália vem. Isso sem mencionar o fato de que eles dormem, ou vão pra creche, ou ficam com parentes e amigos. Então, não procede esse exagero, parem de repetir essa bobagem.

E se não fosse abraçando, cheirando, pulando, colorindo, gargalhando, beijando ralado no joelho, limpando xixi do chão, ameaçando castigo, catando brinquedo, gritando o nome do fugitivo pela casa, vendo cair de sono, fazendo cabaninha, cantando musicas de roda, rodando de vestido pela sala, acompanhando a surpresa da pessoa diante das maravilhosas mágicas desse mundo, o que de melhor você poderia estar fazendo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *